Portugal Inovação Social destina 3ME ao Algarve

Realizou-se, na semana passada  a sessão de lançamento da iniciativa Portugal Inovação Social na região do Algarve, presidida pela Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques.

O evento foi promovido em conjunto pela CCDR Algarve – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, o Programa Operacional CRESC Algarve 2020 e a EMPIS – Estrutura de Missão Portugal Inovação Social.

Os dois primeiros instrumentos financeiros da Portugal Inovação Social para o Algarve, a lançar até final do ano, vão destinar três milhões de euros aos projetos de respostas inovadoras de cariz social.

O aviso de candidaturas regionais para o instrumento Parcerias para o Impacto será publicado até final do mês de maio e representa um valor de dois milhões de euros. Este instrumento permitirá o cofinanciamento de projetos em 70 por cento, com o montante em falta (30%) a ser colocado pelo investidor social, que poderá ser “um município, uma empresa ou uma associação“.

Por outro lado, informou a ministra da Presidência, o aviso regional para o instrumento Títulos de Impacto Social, com uma verba de um milhão de euros, será lançado em outubro.

Este mecanismo pressupõe a devolução do valor aplicado inicialmente por um investidor social, a 100%, caso sejam atingidos os objetivos mensuráveis a que os candidatos se propuseram.

A julgar pela adesão à conferência de apresentação, o interesse é enorme e estamos muito otimistas relativamente à capacidade de pôr o dinheiro à disposição e de ele ser efetivamente aproveitado para os fins programados“, disse, à margem da sessão, Francisco Serra, presidente da CCDR Algarve.

No total, a Portugal Inovação Social, que já estava presente em três outras regiões (Norte, Centro e Alentejo), terá um ‘bolo’ de cinco milhões de euros para investir no Algarve até 2020 e os avisos de candidatura aos restantes instrumentos de apoio serão abertos ao longo dos próximos anos.

O Portugal Inovação Social é “o primeiro plano de inovação social apoiado num estado-membro por fundos comunitários“, explicou a ministra, visando “encontrar novas soluções para problemas que são cada vez mais importantes na sociedade“.

Matérias como o envelhecimento da população e a solidão a que isso conduz, o insucesso escolar, a inclusão digital ou a recuperação do património poderão ser alvo de apoios, exemplificou Maria Manuel Leitão Marques.

Outra das prioridades passa pela criação de uma incubadora para a inovação social no Algarve, que permita apoiar as associações e organizações da região interessadas em apresentar projetos.

De acordo com Filipe Almeida, presidente da Portugal Inovação Social, já foram aprovados 137 projetos nas regiões Norte, Centro e Alentejo, representando 12 milhões de euros em financiamento público.

Com a criação da iniciativa Portugal Inovação Social, em Dezembro de 2014, Portugal foi pioneiro na União Europeia ao canalizar uma parcela importante (cerca de 150M de euros) de fundos da União Europeia, do atual ciclo de programação 2014-2020, para a promoção da Inovação Social.

Posted on 16 Abril, 2018 in Destaques

Share the Story

Back to Top